Home > Blog >

Dor de dente: quais sinais sua boca está te dando

Dor de dente: quais sinais sua boca está te dando

25/05/2020

Não importa a idade, a dor de dente é algo que ninguém suporta. O certo é que desde a infância quando podem surgir as primeiras cáries, até a melhor idade, precisamos consultar um(a) dentista regularmente. 

Ouça este conteúdo:

Mas a gente sabe que essa não é a realidade de todo mundo. E, por isso, muitas pessoas acabam buscando um(a) dentista apenas quando percebem algum sinal de que algo está errado. 

A dor de dente é um desses sinais. E quando ela acontece, você precisa visitar seu dentista o mais rápido possível para evitar que o quadro piore, pois ela não é o primeiro sintoma de um problema. Quando sentir uma dor no dente ou na gengiva, preocupe-se: essa já é uma complicação!

Um estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 2002, em uma escola estadual de Florianópolis, mostrou que a dor de dente era uma realidade para 33,7% dos entrevistados. Um número bastante alto!

Por isso, vamos conversar hoje sobre quais sinais a sua boca está dando quando a dor de dente chega. E mais, vamos ver também o que podemos fazer nesses casos. Boa leitura!

Dor de dente: o que pode ser?

Cárie 

A cárie é uma das  principais causadoras de dor de dente. Na infância, por exemplo, muita gente tende a achar que cáries são normais, e isso é um erro! E na falta de interesse dos pais ou responsáveis, a visita ao dentista só acontece quando os pequenos sentem dor. Na fase adulta, pode ser considerada um descaso com a higiene bucal e muitos sentem vergonha de procurar ajuda. 

Devemos cultivar em nossos filhos o hábito de escovar os dentes desde pequenos, para que eles cresçam e se tornem adultos com uma boa higiene e com um sorriso bonito e saudável

Mas, independente disso, você sabe o que são cáries?

Elas são causadas por bactérias que se alimentam dos açúcares e carboidratos que comemos. Assim, elas produzem ácidos que corroem a estrutura dental e deterioram os dentes. 

No início a cárie é indolor e “invisível”, pois acontece embaixo da superfície do dente. Mas quando ela chega à superfície, o estrago já está feito e só um(a) dentista pode avaliar qual o melhor tratamento. 

Neste caso, a dor de dente chega quando a cárie já está em um estágio mais avançado e necessitando de tratamento urgente. 

Uma cárie recém formada e descoberta pode necessitar de uma simples restauração, mas uma cárie não cuidada pode necessitar de tratamentos mais difíceis, como um tratamento de canal, ou até mesmo, à extração dental e a necessidade um implante (dependendo do dano estético).

Por isso, é melhor prevenir do que remediar. O mais indicado é manter consultas regulares com seu dentista a fim de evitar que uma cárie se desenvolva. Além de manter uma rotina de ao menos 3 escovações diárias, sempre após as refeições.

E se você já ouviu que cárie em dente de leite não é um problema, não acredite! Esse é um erro enorme que leva muitas crianças a problemas maiores. 

Se o dente de leite chegar ao ponto de ser extraído, o permanente que está logo abaixo pode sair torto. Além disso, a cárie do dente de leite, pode prejudicar o dente permanente, que já pode nascer com algum problema.

Por isso, não existe idade quando o assunto é cárie. É preciso cuidar, pois ela traz muito mais riscos escondidos do que pensamos. 

Sensibilidade 

Outra causa da dor de dente pode ser a sensibilidade. Geralmente ela é causada por líquidos quentes ou frios e, até mesmo, alimentos doces. 

Se você já sentiu uma dor aguda e rápida em um desses cenários, talvez possa ter sensibilidade dental. Mas isso só pode ser diagnosticado por um(a) dentista, pois existem fatores que precisam ser analisados.

Um estudo publicado, em 2013, pela Internacional Dental Journal, mostrou que a maioria das pessoas que apresentam sensibilidade têm entre 20 e 50 anos de idade. Mas não se deixe enganar, essa é uma condição que pode nos afetar em qualquer idade.

Em geral, a sensibilidade é causada quando a dentina fica exposta. A escovação forte, o bruxismo e a retração gengival são só alguns exemplos do que pode causar essa exposição.

A dentina é uma camada interna do dente que protege a polpa, uma região cheia de vasos sanguíneos e terminações nervosas. Por isso, quando ela fica exposta, esses líquidos quentes e frios ativam essas terminações e a sensibilidade ataca. 

E para confirmar se essa dor é mesmo sensibilidade, há alguns estímulos térmicos e mecânicos que só um(a) dentista deve realizar. Por isso, não esqueça de sempre consultar o especialista para realizar o tratamento mais adequado, que varia de acordo com cada caso. 

Por exemplo, Se você está fazendo clareamento dental é normal ter algum nível de sensibilidade, mas converse com seu dentista sobre isso. 

Outras causas da dor de dente 

Cáries e sensibilidade são as causas mais comuns da dor de dente. Mas existem outros problemas que podem ocasionar isso. Veja só:

  • má oclusão dentária;
  • restaurações infiltradas;
  • doenças periodontais;
  • nascimento dos dentes do siso;
  • bruxismo; e até mesmo,
  • um quadro de sinusite.

E essas são só algumas das causas possíveis. Cada uma delas pode nos levar a um quadro de problemas mais graves e por isso nunca devem ser ignoradas. 

Veja também outros sinais que indicam a necessidade de consultar um(a) dentista – dor de dente não é o único deles.

Como dissemos: a dor de dente já é um sinal mais avançado de que há algo errado e não se pode esperar quando ela chega. 

Por isso, se você tiver qualquer nível de dor e/ou precisar de um(a) dentista em Florianópolis, conheça a Redeplus Odontologia. 

Na Redeplus você encontra profissionais especializados para cuidar da sua saúde bucal e de toda a sua família. A clínica é credenciada ao Cartão Redesul, e oferece atendimento odontológico em mais de 7 especialidades e fica no Sul da Ilha, em Florianópolis.

E se você tiver qualquer dúvida sobre qual o melhor tratamento para a sua dor de dente entre em contato com a gente, pelo formulário on-line ou WhatsApp.

Dra. Daniela Garbin Neumann

CRO/SC 5990 - Cirurgiã-dentista formada há 24 anos pela UFPR, tem mestrado e doutorado em Odontologia pela UFSC, na área de saúde coletiva - com estágio na Universidade de Toronto, Canadá. Pela sua tese de doutorado, foi premiada no Prêmio Capes de Tese 2015, e recebeu menção honrosa na Academia Catarinense de Odontologia.⠀ ⠀

Leia também